Tudo sobre música, leitura e opinião de qualidade
Translate blog
Fãs do Facebook

Redes Sociais




Seguidores do Google

Seguidores diHITT

Total de visualizações
  • 34724Total de leituras:
  • 15Leituras de hoje:
  • 13Leituras de ontem:
  • 89Leituras da semana passada:
  • 264Leituras por mês:
  • 22575Total de visitas:
  • 15Visitas de hoje:
  • 12Visitas de ontem:
  • 83Visitas da semana passada:
  • 252Visitas por mês:
  • 10Média de visitas por dia:
  • 0Visitantes que estão online:
Nossos Parceiros
Faça parceria conosco!


Calendário
janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

cazuza

Legião Urbana – 1985 (álbum) completo

No ano de 1985 na terra tupiniquim, o Brasil já tinha vivido a sensação teatro musical (Blitz), Paralamas do Sucesso e Barão Vermelho já estavam entre o 2º e 3º álbum de suas carreiras, Lobão já era figura carimbada no noticiário pelo seu talento (e loucuras cometidas) e aí eis que surge a banda que se consagraria como a maior de todos os tempos do rock nacional.

Se você pensou num grupo liderado por um tal de Renato Russo acertou!

A Legião Urbana seria em pouco tempo um fenômeno musical que causaria tanta histeria entre os fans quanto os Beatles nos anos 60.

Renato seria a voz de gerações em vida e principalmente de forma póstuma entre crianças e jovens que sabiamente fogem do funk e dos sertanejos universitários e sofrência.

Seu primeiro álbum, que simplesmente leva o nome da banda, é a concepção de uma geração que muito tinha para falar pós era de regime militar.

Além das clássicas Será, Ainda é Cedo e Geração coca cola, o disco tem os pertardos punk Petróleo do Futuro, Baader Meinhof Blues e Teorema com uma rebeldia e transgressão inteligente.

Traria também O Reggae como grito social, e Soldados vociferando contra o maior mal do capitalismo (a Guerra).

Já a Dança e Perdidos no Espaço era o retrato de uma geração dinâmica e ao mesmo tempo perdida em suas fugas nas formas da moda ou dos vícios.

E esse álbum fenomenal é encerrado com a reflexiva e nostálgica Por Enquanto.

Musicalmente, apesar de ser um grupo entrosado e com um vocalista de técnica vocal a frente dos das demais bandas, o que mais se destacava era o excepcional contra baixo de Renato Rocha, que fazia Marcelo Bonfá suar na bateria para acompanhar a contento e que exigia que Dado Villa Lobos tirasse o melhor de si em cada linha de guitarra tudo isso para que a música fosse coesa e homogênea.

Bons tempos, e uma banda que eu só pude conhecer a fundo no último ano de vida do Renato Russo, mas carrego até hoje sua discografia e canções no coração.

Veja abaixo na integra o álbum de estréia da Legião Urbana na mais que apropriada seção: O 1 º álbum clássico.

Continue lendo a postagem


Cazuza – Ideologia (1988)

Album_Ideologia

Quando vemos os jovens de hoje que querem algo melhor do que o Emo ou o Happy Rock, muitos deles vão em busca dos artístas do rock dos anos 80, é assombroso o tanto de pré adolescentes que endeusam e idolatram Renato Russo e o seu grupo Legião Urbana, mas pouquíssimos destes mesmos jovens conhecem a obra do igualmente poeta e grandioso Cazuza que sem sombra de dúvidas foi a grande voz da década de 80.

Artista de vida boemia, que se dizia bissexual, grande parceiro de Lobão em composições musicais e em uso de entorpecentes e que assumiu publicamente em 1989 que era soropositivo do HIV (falecendo no ano seguinte aos 32 anos de idade) ele começou sua carreira musical como vocalista do Barão Vermelho onde emplacou sucessos como Pro dia nascer feliz, Bete Balanço, Ponto Fraco, Por que a gente é assim, Maior Abandonado, outras canções que tiveram menos destaque mas de grande qualidade e valia também como Down em Mim, Blues do Iniciante, Todo amor que houver nesta vida.

Continue lendo a postagem…