Tudo sobre música, leitura e opinião de qualidade
Translate blog
Fãs do Facebook

Redes Sociais




Seguidores do Google

Seguidores diHITT

Total de visualizações
  • 34255Total de leituras:
  • 6Leituras de hoje:
  • 26Leituras de ontem:
  • 102Leituras da semana passada:
  • 202Leituras por mês:
  • 22136Total de visitas:
  • 6Visitas de hoje:
  • 26Visitas de ontem:
  • 94Visitas da semana passada:
  • 193Visitas por mês:
  • 13Média de visitas por dia:
  • 0Visitantes que estão online:
Nossos Parceiros
Faça parceria conosco!


Calendário
dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

jimmy page

Eric Clapton – Drifting Blues (2008 Unplugged)

Um dos guitarristas mais influentes e importantes da história do rock.

Integrante de bandas como Yardbirds e Cream, que serviram de pilar para todo o rock que viria nos anos 70.

Mas muito mais do que o bom e velho rock n’ roll, as raízes da musica de Eric Clapton vem do blues, estilo que aprendeu a tocar quando ganhou o seu primeiro violão aos 13 anos de idade.

Vindo de uma cidade rural da Inglaterra e de uma família extremamente confusa (Eric Clapton é filho de sua irmã que teve um breve caso com o seu próprio pai) acabou sendo criado pelos avós.

Nascido no ano de 1945, teve como início de sua carreira aos 18 anos de idade (1963). Até os dias atuais, foram 66 discos gravados, incluindo com as suas antigas bandas, carreira solo, parcerias e coletâneas.

Veja abaixo uma versão acústica de um grande blues de sua carreira.

Continue lendo a postagem


The Jimi Hendrix Experience – Foxey Lady (Miami Pop 1968)

O que dizer desse cara chamado Jimi Hendrix?

Quase 50 anos após a sua morte ele ainda continua com a honra ao mérito de melhor guitarrista de todos os tempos.

Talvez, Stevie Ray Vaughan ou Gary Moore poderiam tê-lo superado se tivessem chegado aos 70 ou 80 anos de idade.

Hendrix é uma influencia indispensável e inquestionável para todos os grupos de hard rock e heavy metal que surgiram dos anos 70 até os dias atuais.

Todas as lendas vivas da guitarra ainda vivas o citam como fonte de inspiração

Pesquisando no YouTube achei um registro ao vivo dele com boa qualidade de imagem e de som.

E é essa apresentação que trago para vocês logo abaixo:

Continue lendo a postagem


Cream – Sunshine of your love (live 1968)

Hoje o blog abre espaço para um dos principais grupos de rock dos anos 60 e também considerado pela mídia especializada o primeiro supergrupo do rock n’ roll em termos de técnica musical.

O Cream, formado pelo baterista Ginger Baker (de formação jazzistica) pelo baixista Jack Bruce (o Flea do baixo dos anos 60) e também por um tal de Eric Clapton na guitarra (acho que todo mundo o conhece, não é?) era um grupo de blues rock, que pendia do hibrido blues para o hard rock mais distorcido, que o mundo veria a exaustão com os grupos dos anos 70 que estavam por vir.

Banda de grande influência entre outros monstros do rock como o Led Zeppelin, Deep Purple, Black Sabbath e The Jeff Beck Group.

Infelizmente, a banda durou apenas 3 anos (1966 à 1968) devidos as sérias desavenças pessoais de Baker com Bruce, apesar de que quando estavam em palco um respeitava a habilidade e técnica musical do outro.

Mas o que eu posso dizer é que esses 3 anos trouxeram uma mudança definitiva para o rock, que antes deles tinham como base o rock mais básico dos Beatles, o blues mais raiz dos Rolling Stones e a primeira new wave do rock com os Beach Boys. O Cream trazia para o rock uma energia e peso que não se via nestas outras 3 bandas e junto com Jimi Hendrix tornaram a distorção em patrimônio histórico do rock n’ roll.

Confira abaixo o maior sucesso da banda em versão ao vivo:

Continue lendo a postagem


Stone temple pilots – Dancing days (unplugged Las Vegas 1999)

Stone Temple Pilots já é naturalmente bom e estiloso no som.

Isso fica mais ainda em evidência quando eles escolhem um super clássico do Led Zeppelin para interpretar.

Aliás, de certa forma, podemos dizer que eles são o Led Zeppelin do Grunge, só que de maneira mais punker e distorcida.

Tanto Jimmy Page, quanto Robert De Leo são excelentes criadores de riffs inconfundíveis e absolutos.

E Scott Weiland o cantor mais performático do rock dos anos 90, sentimos muito o seu falecimento e ausência na música atual.

Confira então logo abaixo essa grande versão de Dancing Days.

Continue lendo a postagem


Led Zeppelin: Heartbreaker – Live Earls Court

Quando os gigantes caminhavam sobre a Terra… Diz o slogan da biografia não oficial mais famosa deles!

O que o grupo em si reune de melhor: Poderiamos citar dezenas de qualidades mas vou resumir todas numa única expressão:

O melhor vocalista e baterista de todos os tempos da música comtemporânea (Robert Plant e John Bonham) com o mais versátil guitarrista e baixista de todos os tempos também da música comtemporânea (Jimmy Page e John Paul Jones).

Esses quatro monstros lendários do rock não tornaram o Led Zeppelin a melhor banda da história do rock mas levou esse mesmo rock n’ roll a um patamar musical tão técnico quanto o Jazz, seja no hard rock com incursão no blues, seja o rock com incursão na folk music.

Continue lendo a postagem…


As cinco melhores canções do rock internacional dos anos 90

Pela temática do blog, já deu para perceber que eu sou um grande amante do rock n’ roll, mas o rock de verdade feito com atitude, poesia e talento. Apesar de ter ouvido rock pela primeira vez em 1987 aos 7 anos de idade, me cconverti para o estilo em 1991 aos 11 anos de idade com a explosão do Grunge com Nirvana e compania, ao longo desta década fui ouvindo outros gêneros do estilo como o rock alternativo, bandas hard rock como o Aerosmith e Bon Jovi e outras bandas de décadas passada, e também fui mais um que se encantou com a poesia e melodia de Legião Urbana.

Então trago para esta postagem as cinco músicas que ao meu ver são as melhores dos anos 90 não por termos técnicos a serem debatidos entre músicos, mas por serem músicas que marcaram a sua época de lançamento e que ao mesmo tempo são da fase mais aurea destas bandas que surgiram e lançaram seus primeiros trabalhos nos anos 90.

Nirvana – Territorial Pissings (1991)

Do aclamadíssimo Nevermind tido pela crítica musical como o melhor disco dos anos 90 e que foi o marco de uma geração através do grunge de Seattle, Kurt Cobain e Cia neste disco recriam a forma de tocar punk rock com muito mais peso e acordes em relação ao punk clássico dos anos 70 praticado por Sex Pistols, Ramones, Dead Kennedys e Buzzcocks. Pena que justamente o peso do sucesso e de ser o Messias de uma geração acabou levando Kurt Cobain a constantes overdoses de heroína, até que o mesmo pôs fim em sua vida e na carreira da banda suicidando – se entrando para o rol dos mitos do rock como Jimi Hendrix, Jim Morrison e tantos outros.

Continue lendo a postagem…