Tudo sobre música, leitura e opinião de qualidade
Translate blog
Fãs do Facebook

Redes Sociais




Seguidores do Google

Seguidores diHITT

Total de visualizações
  • 37031Total de leituras:
  • 3Leituras de hoje:
  • 9Leituras de ontem:
  • 60Leituras da semana passada:
  • 126Leituras por mês:
  • 24414Total de visitas:
  • 3Visitas de hoje:
  • 7Visitas de ontem:
  • 54Visitas da semana passada:
  • 114Visitas por mês:
  • 7Média de visitas por dia:
  • 0Visitantes que estão online:
Nossos Parceiros
Faça parceria conosco!


Calendário
outubro 2018
S T Q Q S S D
« jun    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

pj harvey

PJ Harvey – A Place Called Home

Taí um monstro no melhor sentido da palavra do rock feminino que deveria falar mais vezes no blog.

Tida como a grande voz e artista do rock alternativo entre as cantoras de rock, PJ Harvey tem a crueza de Patti Smith fundido no lado camaleônico de David Bowie.

Ela mesma diz que de um álbum anterior para o próximo sempre procura se reinventar, sem soar como uma cópia ou repetição do que fez no passado.

Sua carreira começou com a sonoridade o mais distorcida possível, passou pelas nuancias do blues, folk e pop até chegar ao estilo medieval, jazz e percussão.

Lógico que considerando toda a sua carreira teve os discos que se destacaram mais, como:

 

  • Rid of me (1993)
  • Stories from the city, stories from the sea (2000)
  • A woman a man walked by (2009)

O que posso garantir a vocês é que com a PJ Harvey não tem disco ruim, todos são de uma grande riqueza musical.

Confira abaixo então um dos seus maiores sucessos em vídeo clipe

Continue lendo a postagem


Garbage – Strange Little Birds (2016)

Mantendo o seu grande legado dentro do rock quanto a inovação de sonoridade, o Garbage mergulha no universo Dark dos anos 80 bebendo da fonte de Depeche Mode e Siouxie and the banshees fazendo uma explosiva fusão com The Pretenders  e trazendo a tona um álbum icônico mediante a cena medíocre atual de boa parte das cantoras femininas e bandas de rock em cena.

O álbum partiu de duas concepções conforme palavras de Shirley Manson a crítica especializada:

  • Traz uma escuridão no sentido de vulnerabilidade, do quanto em tantas vezes na vida nos sentimos vulneráveis perante relacionamentos ou situações difíceis que temos que enfrentar;
  • A cultura pop musical atual tem uma falsa concepção de vida iluminada, mas no fundo são artistas que mal sabem o significado daquilo que cantam, interpretam ou dançam em suas apresentações ao vivo, estão completamente perdidos como artistas e como pessoas, mas estão ali encenando sua vida e carreira feliz e glamourosa.

slb

Butch Vig diz que realmente não há nenhuma canção feliz, que as músicas entre si travam uma espécie de confronto diante de seus medos e fantasmas e que durante as gravações fizeram questão da voz de Shirley soar o mais natural e potente possível, sem efeitos, mesmo nas músicas há um grande vigor nos instrumentos, valorizando o seu peso (fonte Wikipédia)

Segue a análise faixa por faixa:

Continue lendo a postagem


PJ Harvey e Thom Yorke – This mess we’re in

Um encontro memorável de dois ícones do rock alternativo: PJ Harvey e Thom Yorke (vocalista e lider do Radiohead).

Um lindíssimo dueto de vozes embalados por guitarras densas e de extrema melodia, confiram:

Gostou? Esteja a vontade para comentar e dar sugestões sobre o seu artista ou banda alternativa preferida.