Tudo sobre música, leitura e opinião de qualidade
Translate blog
Fãs do Facebook

Redes Sociais




Seguidores do Google

Seguidores diHITT

Total de visualizações
  • 36221Total de leituras:
  • 0Leituras de hoje:
  • 3Leituras de ontem:
  • 112Leituras da semana passada:
  • 404Leituras por mês:
  • 23779Total de visitas:
  • 0Visitas de hoje:
  • 3Visitas de ontem:
  • 36Visitas da semana passada:
  • 195Visitas por mês:
  • 5Média de visitas por dia:
  • 0Visitantes que estão online:
Nossos Parceiros
Faça parceria conosco!


Calendário
junho 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

renato russo

As 5 maiores músicas românticas da história do rock

Há muito tempo já vinha pensando em fazer este tipo de artigo no blog.

Temos grandes canções românticas no rock, blues, jazz, pop, soul music.

Tomei coragem de fazer esse artigo, por que ultimamente ando de saco cheio da epidemia de cornagem e sofrência que tomou conta do Brasil com artistas como Marília Mendonça, Simone e Simaria, Maiara Azevedo, Luan Santana e similares.

Com essa epidemia que assola o Brasil, eu nunca antes tinha visto na minha vida um momento de tanta baixa auto estima nas pessoas como a que está impregnado no nosso país agora.

Então começarei esse série de 5 mais românticas pelo rock e depois partirei para outros estilos musicais.

Sem mais delongas vamos lá então:

1 º BON JOVI – ALWAYS

 

Continue lendo a postagem


Legião Urbana – 1985 (álbum) completo

No ano de 1985 na terra tupiniquim, o Brasil já tinha vivido a sensação teatro musical (Blitz), Paralamas do Sucesso e Barão Vermelho já estavam entre o 2º e 3º álbum de suas carreiras, Lobão já era figura carimbada no noticiário pelo seu talento (e loucuras cometidas) e aí eis que surge a banda que se consagraria como a maior de todos os tempos do rock nacional.

Se você pensou num grupo liderado por um tal de Renato Russo acertou!

A Legião Urbana seria em pouco tempo um fenômeno musical que causaria tanta histeria entre os fans quanto os Beatles nos anos 60.

Renato seria a voz de gerações em vida e principalmente de forma póstuma entre crianças e jovens que sabiamente fogem do funk e dos sertanejos universitários e sofrência.

Seu primeiro álbum, que simplesmente leva o nome da banda, é a concepção de uma geração que muito tinha para falar pós era de regime militar.

Além das clássicas Será, Ainda é Cedo e Geração coca cola, o disco tem os pertardos punk Petróleo do Futuro, Baader Meinhof Blues e Teorema com uma rebeldia e transgressão inteligente.

Traria também O Reggae como grito social, e Soldados vociferando contra o maior mal do capitalismo (a Guerra).

Já a Dança e Perdidos no Espaço era o retrato de uma geração dinâmica e ao mesmo tempo perdida em suas fugas nas formas da moda ou dos vícios.

E esse álbum fenomenal é encerrado com a reflexiva e nostálgica Por Enquanto.

Musicalmente, apesar de ser um grupo entrosado e com um vocalista de técnica vocal a frente dos das demais bandas, o que mais se destacava era o excepcional contra baixo de Renato Rocha, que fazia Marcelo Bonfá suar na bateria para acompanhar a contento e que exigia que Dado Villa Lobos tirasse o melhor de si em cada linha de guitarra tudo isso para que a música fosse coesa e homogênea.

Bons tempos, e uma banda que eu só pude conhecer a fundo no último ano de vida do Renato Russo, mas carrego até hoje sua discografia e canções no coração.

Veja abaixo na integra o álbum de estréia da Legião Urbana na mais que apropriada seção: O 1 º álbum clássico.

Continue lendo a postagem


Legião Urbana – Metal contra as nuvens (acústico)

legic3a3ourbana-acusticomtvCom certeza, de todas as bandas de rock brasileiras, essa é a mais chegada numa boa viola e violão.

Também escolhi a Legião Urbana, pois nunca compartilhei nenhuma canção deles aqui e eles têm o que o Blog mais preza: boa melodia e canto poético.

Uma curiosidade dessa canção e que talvez os fans adolescentes de hoje em dia não saibam, é a letra de Metal Contra as Nuvens é um protesto ao governo da época: Fernando Collor de Melo (Dragão).

E hoje, por ironia do destino ou compra de votos vivemos situação bem parecida e similar diante da corrupção generalizada e sem partido imune a isso.

O que você acha que Renato Russo diria e cantaria sobre os dias atuais?

Continue lendo a postagem


(Renato Russo) 11/10/1996 – O nascimento do maior poeta da história do rock mundial?

Renato-Russo-310x310Lembro – me que em 11 de outubro de 1996 estava no meu 1° emprego trabalhando quando por volta das 08:30 da manhã fiquei sabendo do falecimento de Renato Russo, na época estava ouvindo a Legião Urbana recentemente, nem tinha ainda todos os seus discos, ouvia muito o cd Tempestade que me identificava muito por conta de uma paixão que estava sendo um momento muito difícil na minha vida, e este último trabalho da Legião Urbana com Renato Russo em vida era o prospecto de alguém que desistiu de ser feliz no amor, desistiu da vida e esperava pela morte.

Podemos perguntar a qualquer pessoa ouvinte ou fã de Legião Urbana por quê ouve a banda e independente da idade a resposta sempre será a mesma: ouço Legião por que as letras dele (Renato) retratam situações e vivências que tenho na minha vida e no meu dia – a – dia, ele canta as minhas desilusões e decepções no amor. No dia da sua morte todo mundo se sentia um pouco orfão, seja pré adolescentes ou adultos já de 30 à 40 anos de idade, pois Renato não apenas descrevia a vida e a história das pessoas em suas canções, mas suas músicas serviam de alento e coragem para continuar em frente, como muito bem cantado em Vento no litoral.

Continue lendo a postagem…


Cazuza – Ideologia (1988)

Album_Ideologia

Quando vemos os jovens de hoje que querem algo melhor do que o Emo ou o Happy Rock, muitos deles vão em busca dos artístas do rock dos anos 80, é assombroso o tanto de pré adolescentes que endeusam e idolatram Renato Russo e o seu grupo Legião Urbana, mas pouquíssimos destes mesmos jovens conhecem a obra do igualmente poeta e grandioso Cazuza que sem sombra de dúvidas foi a grande voz da década de 80.

Artista de vida boemia, que se dizia bissexual, grande parceiro de Lobão em composições musicais e em uso de entorpecentes e que assumiu publicamente em 1989 que era soropositivo do HIV (falecendo no ano seguinte aos 32 anos de idade) ele começou sua carreira musical como vocalista do Barão Vermelho onde emplacou sucessos como Pro dia nascer feliz, Bete Balanço, Ponto Fraco, Por que a gente é assim, Maior Abandonado, outras canções que tiveram menos destaque mas de grande qualidade e valia também como Down em Mim, Blues do Iniciante, Todo amor que houver nesta vida.

Continue lendo a postagem…